Articles

Maravides Chardonnay

Recomendação Tintos&Tantos

Maravides Chardonnay

Nenhum grande resultado acontece por acaso. Após degustar e aprovar esse vinho, a gente começa a pesquisar e descobre o que faz ele ser tão especial. Não é pouca coisa.

Quem produz o Maravides Chardonnay é a vinícola espanhola Viñedos Balmoral, cujas vinhas são cultivadas no pequeno município de Alpera, na província de Albacete, comunidade autônoma de Castilla-La Mancha.

Mas o mais importante da localização desse vinhedo é o fato de ele estar a 1.000 metros de altitude do nível do mar, o que favorece muito a produção de vinhos frescos e de maior acidez, como é o caso. Se você quiser saber mais sobre a relação entre a altitude e o vinho, clique aqui.

Se você está estranhando a ideia de um Chardonnay elaborado na Espanha, pense que, com um verão ameno e noites muito frias, a localização privilegiada da Viñedos Balmoral é muito adequada para o cultivo de uvas típicas de climas mais frios, como a Chardonnay, tão cultivada na Borgonha e especificamente na região de Champagne!

Adepta dos princípios da viticultura ecológica, essa vinícola prima pela sustentabilidade e respeito à biodiversidade local, e conta com o apoio do enólogo francês Hervé Jestin, um dos maiores especialistas em viticultura biodinâmica.

As uvas, colhidas manualmente, passam por um processo de prensagem suave, gerando um mosto puro e elegante, que vai à fermentação em tanques de aço inoxidável com temperatura controlada.

Após a fermentação, esse vinho amadurece em contato com as células mortas de leveduras durante 3 meses, ainda em tanque de aço. Se você já ouviu falar em sur lies, e não sabe o que é, é isso. É esse tipo de contato com as borras das leveduras, que proporciona ao vinho mais estrutura, corpo, complexidade aromática, sabor...

O resultado desse cuidado todo é um vinho bem brilhante com alguns reflexos que chegam a lembrar o dourado.

Seus aromas são bem vibrantes e cítricos, remetendo a maçãs verdes. Também encontramos notas de pêssego e um toque floral bastante interessante.

Ele tem uma acidez bem marcante, de fato, mas que está perfeitamente equilibrada, num resultado proporcional e agradável, e com boa persistência. Na boca, apresenta também uma certa mineralidade que lhe confere ainda mais charme.

Esse não é um vinho branco de vida curta, certamente. Degustamos um exemplar da safra de 2016, e ele se mostrou sem pressa. Ele tem potencial para aguardar o momento certo de ser degustado. Quem sabe, inclusive, com ostras, que parecem ser uma boa escolha para acompanhá-lo, para quem as aprecia.

Outra harmonização que imaginamos interessante para o Maravides Chardonnay: uma tábua de queijos cremosos como brie e camembert e de queijos mais gordos como emmental, gouda e gruyère. E, falando em queijos, por que não uma massa ou risoto, ou pizza aos quatro queijos? Se você só consegue imaginar queijos com vinho tinto, quebre esse paradigma, e leia sobre isso clicando aqui.

Para esse vinho mostrar seu esplendor, na nossa opinião o melhor é servi-lo a uma temperatura aproximada de 9°C. Se ele estiver muito mais frio, seus aromas se esconderão. E, se estiver muito mais quente, aumentará injustamente a percepção alcoólica, em um vinho que está perfeitamente equilibrado com seus 12% de álcool.

Ah, importante dizer que o Maravides Chardonnay chega ao Brasil importado pela Hispania Vinhos! E, se quiser conhecer um espetacular e muito inusitado espumante rosé, produzido também pela Viñedos Balmoral, clique aqui.

E, se quiser saber mais sobre a Recomendação Tintos&Tantos, clique aqui.




Artigos mais lidos